CURSO ONLINE DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO

O futuro do trabalho dos empreendedores

Infobae
Janeiro 2019

Francisco Santolo projeta um futuro sem impossibilidades, onde o indivíduo será mais poderoso do que nunca, com seu impacto multiplicado pelas comunidades das quais faz parte e que são conectadas graças ao propósito, paixão, visão e valores.

De Francisco Santolo

Projeto um futuro sem impossibilidades, onde o indivíduo será mais poderoso do que nunca, com seu impacto multiplicado pelas comunidades das quais faz parte e que são conectadas graças ao propósito, paixão, visão e valores. O conceito de empregado será substituído pelo de empreendedor, em uma evolução e combinação dos freelancers e empreendedores atuais.

Vejo uma rede de empreendedores colaborando com seus interesses, habilidades e talentos em projetos comuns e dinâmicos, sem fronteiras geográficas, algo que estamos vendo emergir hoje como crowdsourcing. Não vejo uma relação empregatícia, nem chefes: apenas indivíduos autônomos ou organizações temporárias formadas para trabalhar em conjunto. As organizações horizontais prevalecerão sobre as verticais e veremos o declínio das corporações atuais, cheias de custos fixos, lentidão, inflexibilidades, que deverão se adaptar ou se tornarão presas fáceis da disrupção tecnológica.

Novas metodologias de empreendedorismo e inovação estão lentamente começando a ser compreendidas, pois são facilmente acessíveis para qualquer pessoa e, além disso, mostram uma revolução nos negócios. Você não precisa mais ter investimentos ou correr grandes riscos econômicos e financeiros para empreender. O efeito Nike levou a maioria das corporações a desenvolver fornecedores poderosos e terceirizar com eles sua produção, logística e outras áreas-chave. Estes mesmos fornecedores facilitam o triunfo dos empreendedores, fornecendo a eles sua capacidade ociosa e permitindo que operem com uma estrutura de custos muito mais competitiva.

Por sua vez, antecipo fortes mudanças no sistema educacional, substituindo gradualmente o conhecimento absoluto, os programas oficiais, as estruturas e o papel hierárquico dos professores por um esquema descentralizado de aprendizado contínuo, orientação, liderança moral, auto-aprendizado e onde cada indivíduo terá o duplo papel de aprender, ensinar e compartilhar. Essa mudança já está em andamento e existem inúmeras fontes de aprendizado disponíveis para todos. Nesse sentido, o dinheiro não será mais o principal motivador e os incentivos econômicos perderão força. Me animo a dizer que até o empreendimento se tornará voluntário, uma vez que os bens e os serviços serão abundantes, com custos marginais próximos a zero, produção descentralizada através do que hoje começa como impressão 3D e a presença de robôs e inteligência artificial ocupando todos os tipos de funções e integrando-se às nossas vidas.

Já existe uma discussão em muitos países desenvolvidos sobre a implementação do salário básico universal, financiado pela abundância produtiva. A chamada economia compartilhada, por exemplo, no transporte, como o Uber, e acomodações de férias, como o AirBnb, será estendida a todas as áreas de nossas vidas, como moradias, subestimando a importância dos bens e celebrando o desapego, que graças aos fortes avanços nos transportes e comunicações nos levarão a ser cidadãos globais, o que muitos nômades digitais já praticam hoje.

Insisto que até mesmo o livro de ficção científica mais ambicioso que já foi escrito  ficará obsoleto em apenas algumas décadas. O futuro está se aproximando exponencialmente e eu não sou o único a imaginar essas tendências baseadas em uma extensa literatura, publicações e minha experiência em centros de estudos como o Singularity University, Stanford Graduate Business School, Harvard Business School, MIT Sloan ou o Kellogg School of Management. Se eu me aprofundar em outros campos, como o estudo do microbioma, a manipulação do código genético com a ferramenta CRISPR existente, a nanotecnologia ou a possibilidade de conectar nosso cérebro à nuvem, entenderia realmente que não há limite para o imaginável e o inimaginável da mudança que está por vir.

O futuro traz enormes desafios e oportunidades. Cada indivíduo será cada vez mais poderoso através de suas ações, suas palavras e, acima de tudo, seu silêncio ou inação. Valores, aceitação da diversidade, tolerância, respeito e cuidado com os outros se tornarão nossas qualidades mais importantes para manter o otimismo sobre o futuro e proporcionar um mundo melhor para as nossas próximas gerações. Devemos ter cuidado com qualquer fragmentação derivada de diferenças ideológicas que levem a queixas, agressões e crescentes conflitos, uma vez que os dilemas morais que enfrentamos hoje estão apenas começando.

Outros artigos de Francisco Santolo