CURSO ONLINE DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO

Empreender através do Networking

por Francisco Santolo
Abril 2018

Tenho muito carinho com este artigo, o primeiro que escrevi e publiquei a princípios de 2015. Não sabia o que me aguardaria no futuro, mas minha idéia e meus princípios estavam claros. Tinha descoberto algo mais poderoso do que poderia imaginar.

2014 mudou minha vida. Foi um ano de descobertas e crescimento. Neste artículo compartilho alguns dos princípios, aprendizagens e recursos que fizeram toda a diferença na minha vida.

Novembro de 2013. Kellogg School of Management. A aula de Brian Uzzi sobre Networking teve um grande impacto em mim. Após uma exposição teórica perfeita, realizamos um exercício que deu vida ao poder desse Networking, ilustrando claramente como poderíamos nos ajudar entre empreendedores para realizar nossos sonhos.

O conceito era intuitivo: meu sonho, ainda distante de ser alcançado, poderia ser algo simples para você ou para sua Network. Sem saber, tínhamos as chaves - recursos, talentos, contatos – que poderiam de uma maneira bem simples abrir as portas para sonhos alheios.

  1. Stanford Entrepreneurship and Innovation Certificate. No seu curso “Cultivating the Entrepreneurial Mindset”, Tom Byers me ofereceu novas formas de pensar como empreender e me deu um conjunto de poderosas ferramentas – por exemplo, “O Manual do Empreendedor” de Steve Blank, ou “Geração de Modelos de Negócios” de Alexander Osterwalder -.

Inspirado e motivado por esses conhecimentos, decidi explorar aquele mundo novo dentro da minha rede e de sua rede estendida de contatos. Não estava completamente seguro de como fazê-lo, então decidi intuitivamente:

  • Conhecer a uma pessoa depois do trabalho todos os dias para compartir com ela suas idéias e explorar possibilidades. Comecei com amigos próximos e logo depois com os amigos dos meus amigos.
  • Começar a usar meus recursos, talentos e contatos para ajudar a outros. Para colocá-lo em prática, decidi conectar o Networking com dar, confiante de que algo bom sairia disso.

Com essas estratégias maravilhas começaram a acontecer:

Decidi me converter em consultor, como trabalho a tempo parcial, sobre como empreender – depois de sair do escritório ou nos fins de semana -, ajudando em projetos gratuitamente – o que foi uma um processo de aprendizagem excelente e uma grande experiência -.

Me convidaram para dar aulas de Empreendimentos numa importante universidade – onde muito aprendi interagindo com os alunos -. E no processo de ajudar a outros descobri empreendedores maravilhosos com quem decidimos co-fundar algumas empresas.

Menos de um ano depois, sem nem sequer imaginar, tinha recebido convites para ser sócio da Les Croquants – uma cadeia francesa de pastelaria -, co-fundador da Eneldo – uma agência de marketing e desenhos gráficos que já trabalhava com clientes importantes -. Participei na criação, reformulação e expansão de vários empreendimentos de diferentes indústrias. (2015)

Trabalhei em conjunto com empreendedores prestigiosos e de alta patente. Ao mesmo tempo cresci na minha carreira corporativa, aceitando uma posição regional de uma grande companhia, a BRF, para o Meio Oriente e África.

Aprendi que existem poderosos princípios envolvidos nesses resultados e gostaria de comparti-los:

  • Não guarde seus sonhos. Não seja tímido para pedir ajuda. Seja transparente. Comparta suas metas. Sua Network está disposta a ajudar.
  • Começe dando. Ofereça sem esperar nada em troca. Ofereça sua ajuda a todas as pessoas que possa. De uma forma ou de outra, algo de bom virá em retorno.
  • Fale com as pessoas, vá a jantares, convide-os para tomar um café! Compartilhe com as atividades deles. Pergunte sobre suas metas, comparta as suas, pensem juntos como se ajudar. Se você acha que não têm tempo, vá em seu encontro.
  • Construa sua rede de contatos. Conheça novas pessoas! Comece por ajudar. Seja transparente sobre o que você quer fazer.
  • Para ter uma visão incrível e científica sobre redes e contatos de trabalho – muitas das anteriores são apenas conclusões e experiência pessoal – leia mais sobre o trabalho de Brian Uzzi. Eu o admiro profundamente.

E sobre empreender:

  • Fazer seu próprio negócio é mais fácil do que você pensa!
  • Utilize as ferramentas corretas para armar seu negócio. Não se nasce empreendedor, se aprende a sê-lo! Existem teorias e metodologias muito eficientes. Começa pelos dois livros que já mencionei – depois pode me perguntar por outros -. Se você puder, tente fazer o curso “Cultivando a Mentalidade Empreendedora” de Tom Byers da Stanford University.
  • Trabalhe com outras pessoas apaixonadas e que tenham potenciais fantásticos para empreender. Estão dentro da sua rede, busque-os! Inclusive pode ser que estejam bem próximo de você. É incrível o que se pode conseguir trabalhando em equipe!
  • Não gaste dinheiro até ter um modelo de negócios que pode ser reproduzido e escalável – realize hipóteses sobre seu modelo de negócios e teste-os da forma menos custosa possível, aprenda o que puder antes de executar ou investir em algo –.
  • Não tenha medo de mudar totalmente seu modelo de negócio durante o percurso – é uma viagem de exploração até que possa chegar ao modelo correto -.
  • Sempre continue aprendendo! No se limite a uma folha de Excel ou a um plano fixo.

Ficaria muito feliz se esse post tenha sido útil e inspirador para você.

Estou muito agradecido à Kellogg, Stanford, Brian Uzzi, Tom Byers, Steve Blank, Alexander Osterwalder, e a todas pessoas incríveis que participaram nesta viagem – Mariana, Gabriel, mariano, German, Clayton, Domingo, Plabo, Santiago, Andy, Francisco, Mateo, Martin, Julián, Ignacio, Lorena, Roxana e muitos outros! –

Com a minha nova mentalidade formada, sempre preparado para aprender e ajudar, convido você a entrar em contato e começar a nutrir sua rede. Talvez, sem querer, tenha nas minhas mãos as chaves para os seus sonhos. Se for assim, farei o melhor para lhe ajudar.

Obrigado!

 

ps: Em 2020 descobri, com enorme orgulho, que este artículo esta na lista dos artículos destacados da página internet do meu admirado Brian Uzzi.

Outros artigos de Francisco Santolo